domingo, 31 de maio de 2009

ESTE FIM DE SEMANA FUI À PRAIA...



E AS SAUDADES QUE EU JÁ TINHA...

QUE RAIO SE PASSA COM AS MULHERES?!!

Nunca imaginei dizer isto, mas a verdade é que ainda temos muito a aprender com os Homens!!!
Nos últimos tempos tenho tido conhecimento de estórias (sim, sem "h") de arrepiar cabelos e me fazer duvidar da saúde mental do mulherio que por aí anda. Ex-namoradas que enviam e-mails para actuais namoradas a "avisar quão diabólicos eles são" e depois se plantam à porta dos ditos à espera de serem levadas até ao quarto; ex-namoradas que aproveitam encontros ocasionais para se esfregarem nos rapazes sem o mínimo respeito pela mulher que está ao lado; pseudo ex-mulheres que telefonam para as amigas dos maridos a "tirar satisfações"; mulheres que enviam para as amigas dos maridos sms a meio da noite com forward de mensagens que eles lhes enviam a dizer que as ditas amigas não fazem parte da vida deles e que é a elas que eles amam (faz sentido, ou então uma não seria a mulher e as outras não seriam meras amigas, não é meninas?!!)...
Todo um manancial de disparates que só pode passar pela cabeça de mulheres mal resolvidas, com problemas de auto-estima, inseguras e problemáticas.

Minhas Senhoras, olhem para a lealdade que os Homens têm uns pelos outros e aprendam! Deixem de transpor os problemas das vossas relações passadas ou actuais para as outras mulheres! Mas também não façam às outras o que não gostariam que elas vos fizessem.

Quando uma relação acaba façam-se à vida e deixem-se de "gracinhas". Se foi o Homem que vos trocou por outra é porque também não merece a vossa companhia (não precisam de ir aborrecer a outra mulher... O problema não é ela, é ele; se o tipo não se pirar com essa será com outra!!!). Se desconfiam que o vosso namorado/marido vos engana não apoquentem a outra mulher (que muitas vezes está a ser tão ou mais enganada que vocês) e resolvam os vossos problemas dentro da vossa casa e com a pessoa certa: Ele! Se se estão a divorciar sigam com a vossa vida e não aborreçam as outras que com ele se cruzam; e se mudaram de ideias e querem ficar casadas com o emplastro que já anda atrás de outra, fiquem (mas não incomodem a outra mulher)!!!

Já não há pachorra para a esquizofrenia feminina! Acredito que haja falta de homens, mas não é preciso chegarmos a este nível comportamental! E são eles quem fica sempre bem... Se as mulheres fossem mais unidas e leais umas às outras tenho a certeza que os homens se portavam bem melhor!!! Experimentem lá começar a alterar os comportamentos para ver se tenho ou não tenho razão...

O AMOR visto por Fernando Alvim

"Chegou o verão e as pessoas falam mais sobre o amor. Os corpos estão mais descobertos – é certo - mas a alma também usa saia curta. E anda tudo a queixar-se do mesmo, que não há mulheres de jeito, que não há homens de jeito, que só nós é que somos perfeitos. Que pena não nos podermos casar connosco e dizer o nosso nome duas vezes na igreja. Declararem-nos marido e mulher num só e à frente de todos, na altura em que usualmente se diz " Pode beijar a noiva!" , nós com grande destreza física, beijaríamos os nossos braços, as nossas mãos, o nosso peito. Que pena não nos podermos beijar a nós próprios e não conseguirmos também aqui ser independentes. O único consolo, é sabermos que não há contorcionista que o consiga, por mais que se esforce e se dobre. O que nos leva a concluir que um beijo destes – dos que agora falamos - tem que ser a dois. O que obviamente é uma chatice.
Anda tudo a queixar-se do que poderia ter sido, quando em muitas das vezes pode ser ainda. Escreve-se demasiado. Fala-se demasiado e faz-se pouco pelo amor. Os grandes romancistas sabem exactamente do que falo. E não deve ser por acaso, que na sua grande maioria – sobretudo os melhores – foram pessoas que não se safavam nada bem neste domínio. Veja-se por exemplo o Pessoa, as cartas a Ophelia são muito bonitas sim, mas se em vez de escrever tanto a expressar o quanto gostava de estar com ela, estivesse de facto com ela, as coisas teriam sido muito diferentes. Ou então não, já nem sei. O amor pode ser uma coisa muito desgastante, tal como quando partimos para uma longa caminhada, em plena uma da tarde de um verão quente, e percebemos que as sapatilhas vão cedendo ao asfalto que escalda.
O amor é como uma qualquer refeição: se estiver demasiado ao lume, pode queimar-se. Daí que quando se parta para uma coisa destas, se use inicialmente o lume em valores muito próximos do máximo e depois, em quase todas as receitas, se aconselhe a colocar em lume brando. Embora eu não concorde, eu sei que é assim. Daí que muitas das relações se salvem por isto, por na verdade, terem percebido que não podiam estar sempre submetidas a altas temperaturas. E assim, se safam. Ou se adiam. De tal modo que com o tempo, depois do lume brando, há relações que se encontram a alourar, que é – como toda a gente sabe – o que lhe dá o verdadeiro gosto, o sabor que só o tempo sabemos poder dar. Mas há quem não o faça e normalmente esturrique o amor. Precisamente, porque não lhe terá sentido o cheiro a queimado."

sábado, 30 de maio de 2009

E esta?!!

"A menina desculpe - e não leve a mal este meu conselho - mas na sua idade os homens que ainda estão disponíveis é porque algum problema têm!!! Por isso, encontre um menos-mau, não o deixe fugir e tenha muita paciência!!!"

Vox Populis

NAO SEI SE RIA OU SE CHORE!!!

UM CONCERTO MEMORÁVEL

video

Os anos 80 podem nao ter música de grande qualidade, mas são depositários de muitas das minhas melhores recordações! Diverti-me muito a rever Kim Wilde, Nick Kershaw Belinda e Rick Astley. Revivi momentos da adolescência e lembrei-me como já vivi momentos muito felizes (para contrabalançar os ultimos meses esquizofrenicos)!

video

sexta-feira, 29 de maio de 2009

HOJE SINTO-ME UMA ADOLESCENTE...

E AS LEMBRANÇAS QUE ISSO ME TRAZ...



DEVÍAMOS PODER SER INGÉNUOS E FELIZES MAIS TEMPO...

quinta-feira, 28 de maio de 2009

AS COISAS BOAS DA VIDA

Os dias não têm andado fáceis, as pessoas andam manifestamente loucas mas pelo menos não me posso queixar de falta de actividade cultural!!!
Depois de ter revisto na segunda-feira o musical Gota d'Água no Coliseu, ontem assisti ao espectáculo Passion Cubana - matar saudades dos tempos em que (quase) aprendi uns passitos de salsa - e amanhã já tenho lugar assegurado no Pavilhão Atlântico para recordar os anos 80!
Se aos eventos culturais acrescentar que tenho almoçado com amigos que não vejo com frequência e que a família me deu férias, constato que não tenho muito do que me queixar (só se for mesmo das questões de saúde, do trabalho que não gosto e dos relacionamentos pseudo-amorosos esquizofrénicos, mas o que é que isso importa?!!!).

terça-feira, 26 de maio de 2009

Mundo estranho este em que vivemos...


"As melhores histórias jamais serão escritas, assim como os momentos mais esperados jamais acontecerão. muitas promessas serão quebradas e muitos sonhos serão desfeitos... Por isso, quando estiver feliz, tire o máximo proveito dessa felicidade, pois o tempo arrastará tudo e só ficarão lembranças!!!"

HOJE EU NÃO ME RECOMENDO!!!

"Não queiras saber de mim
Esta noite não estou cá
Quando a tristeza bate
Pior do que eu não há
Fico fora de combate
Como se chegasse ao fim
Fico abaixo do tapete
Afundado no serrim
(...)
Amanhã eu sei já passa
Mas agora estou assim
Hoje perdi toda a graça
Não queiras saber de mim
Não queiras saber de mim
Porque eu estou que não me entendo
Dança tu que eu fico assim
Hoje não me recomendo"

"Deixe em paz meu coração
Que ele é um pote até aqui de mágoa
E qualquer desatenção, faça não
Pode ser a gota d'água"

segunda-feira, 25 de maio de 2009

APRENDER A DIZER ADEUS

Andava eu a vagear quando me deparei com este texto:

"Pode parecer absurdo o que eu vou dizer, mas integre a morte em sua vida para que você possa viver mais plenamente. Busque soluções para aqueles problemas que vem adiando, como se o tempo não passasse. Perceba o que já terminou em sua vida, e você não reconhece. Muitas vezes nos apegamos a situações que já não fazem mais sentido, somente pela rotina. Podem ser situações de trabalho, de relacionamento, de hábitos. Viver tendo presente a perspectiva de que morreremos não deveria trazer medo, mas acentuar a responsabilidade que temos de fazer com que a nossa vida tenha o rumo que planejamos para ela. Assim, podemos ser dignos de um dia morrer conscientes de que buscamos (mas nem sempre conseguimos) realizar aquilo que é necessário da melhor forma possível."


E logo de seguida, tive direito ao seguinte conselho do dia:

"A mensagem deste arcano é muito clara: identifique as coisas, pessoas, hábitos ou situações que não lhe servem mais e gentilmente se despeça de tudo isso. Esta é a hora de separar o joio do trigo, de encarar a necessidade de abrir mão de todas as coisas as quais você se apega, mas que não fazem mais sentido. Pode ser um processo doloroso, mas você entenderá como se trata de algo necessário. Confie! Deixe o tempo passar, ele cura todas as feridas. O que não vale é ficar se lamentando aos quatro ventos, pois isso lhe tornará alguém pouco atrativo, com quem as pessoas não desejam estar. Lembre-se que a pérola, como dizem os poetas, nasce do sofrimento da ostra."
BOLAS, BOLAS, BOLAS... E o pior é que até sei que isto tudo é uma grande verdade!

TOU COM A NEURA!!!!!!!!!!!!!!!!

domingo, 24 de maio de 2009

BAH!!!!

"A paixão, e o amor, não entram no jogo da facilidade nem dos lugares-comuns. Ou seja, é preciso mais imaginação, mais investimento, mais criatividade, mais vontade de não ficar quieto e parado no mesmo sítio para sentir de novo borboletas na barriga e as pernas tremer. É preciso espantar-se a si mesmo, ao outro e aos respectivos cérebros."

Isabel Stilwell
Notícias Magazine (DN)

E VALERÁ A PENA A TROCA?!

"Casar é trocar a admiração de vários homens pela crítica de um só"


Audrey Hepburn

ME GUSTAS TU

LOVE DOESN'T HAPPEN FOR EVERYONE

sábado, 23 de maio de 2009

A RAZÃO DAS COISAS

Fazer algo sem pensar pode ter consequências graves...

E fazer algo pelas razões erradas? Ou pior, que tipo de consequências podemos esperar ao deixar que outros nos arrastem pelas razões erradas?
E se um dia já deixámos que nos arrastassem pelas razões erradas, ficamos mais desconfiados das razões que outros posteriormente nos apresentam?!

E será mesmo verdade que há pessoas que não nos amam como gostaríamos, mas que nos amam o mais que sabem ou podem?!

Será que, depois de uma relação que se julgava para a vida chegar ao fim, há quem prefira construir uma "relação de interesse" (interesse em evitar a solidão, dividir despesas e manter rotinas) a buscar uma nova relação fundada em amor?

E se alguém que construiu uma relação a pensar que era amor o que os unia vier a descobrir que tinha uma "relação de interesse" isso torna impossível que volte a acreditar no amor?

A razão que nos leva a tomar determinadas decisões deve ser clara, mas eu - por exemplo -nem sempre sei as minhas verdadeiras motivações para agir e, claramente, ando com dificuldade em entender as razões de outros (mais ainda quando penso que uma acção vale mais que mil palavras)...

MAMMA MIA

Hoje resolvi comprar o DVD que (apesar de ser algo que todos sabem que adoro) ainda não tinha...
Presumo que foi por ter assistido na 5a feira ao espectáculo "Dancing Queen" que me deu saudades de rever o filme.
Ou então é mesmo esta coisa de eu ser uma romântica e terem-me proposto um cruzeiro pelas ilhas gregas, o que me dá muito em que pensar (e preciso de uma banda sonora para o fazer)...

quarta-feira, 20 de maio de 2009

"Há um outro eu em cada um de nós que pode ser melhor ou pior quando estamos com pessoas. Quando somos pequenos, os nossos pais avisam-nos disso e apertando-nos os cordões, ajeitando-nos o cabelo, vão-nos preparando para o que aí vem: " olha que tens que te portar bem, que hoje vamos ter visitas!". E posto isto, arrumávamos o quarto, fazíamos os deveres e vestíamos a nossa melhor roupa, na esperança que a filha do casal tivesse a nossa idade e gostasse de jogar ao quarto escuro. Mas disto não falo agora. Falo sim, da transformação das pessoas quando estão juntas e quando se separam. Mais do que isto. Falo da transformação das pessoas quando estão com os outros e quando estão connosco.É uma diferença grande que se acentua quando nós a presenciamos. E nessas alturas, ficamos com vontade que aquelas pessoas fossem sempre assim, tão amáveis, prestáveis, alegres, contadoras de histórias, solidárias, interessadas em tudo aquilo que dizemos, que fazemos, disponíveis em absoluto para o que for necessário, a tudo dispostas para melhorar o nosso dia.Quando estamos com outros pessoas, só queremos mostrar o bom que temos, como se fossemos um daqueles feirantes de microfone de lapela a vender qualidades em cima de um camião de caixa aberta: Olhem como sou generoso! Quem quer comprar? Olhem que engraçado que sou! Quem dá mais? Olhem que habilidades eu faço. Quem me quer? Daí que eu defenda que devíamos viver, como se passássemos a vida a ser visitados por pessoas a quem deveríamos dar o melhor de nós, isto é, exactamente aos que vivem connosco. A ideia é revolucionária – bem sei - mas não tenho dúvidas que serei recordado depois disto, como o Lévi-Strauss português e todos me aplaudirão à minha passagem. E assim, a partir de hoje, de cada vez que alguém dos nossos chegar a casa vindo do trabalho, haverá confetis e serpentinas pelo ar e bolinhos de bacalhau e croquetes na mesa. Haverá música, haverá vinho nos copos e a festa será tanta, que todos seguirão o nosso exemplo e todos perceberão cada festa da vizinhança, do mesmo modo que usualmente entendemos o ranger das camas em cima do nosso quarto. E assim, quando a meio da tarde, percebermos que no segundo esquerdo do nosso prédio, por ali vai uma celebração muito semelhante às imortais noites da Motown, é quase certo que deve ter chegado o filho da escola, ou a mãe do emprego, ou o pai da vizinha da frente.(...)"

Fernando Alvim

HOJE É MAIS BOLOS!

domingo, 17 de maio de 2009

TODOS SOMOS SERES IMPERFEITOS

"Todos nós (e refiro-me mesmo a todos nós, pessoas normais e não tão normais) somos seres humanos imperfeitos vivendo num mundo imperfeito. Não vivemos com a precisão mecânica de um contabilista ou sempre a medirmos todas as nossas linhas e ângulos com réguas e transferidores. Não tenho razão?"

"Apetecia-me dar-te um bom pontapé no traseiro"

"Como podes ser tão idiota? Claro que queria ver-te! Eu disse-te como gostava de ti! E quando gosto de alguém, gosto realmente dessa pessoa. Esse gostar não aparece e desaparece de um momento para o outro. Não compreendes pelo menos isso sobre mim?"!!!

sábado, 16 de maio de 2009

POIS...

"Ninguem aprecia estar sempre assim sozinho.
O facto é que não me esforço por fazer amizades (...).
Acabam por redundar em desilusões."

Haruki Murakami

O GOSTO PELA LEITURA

"Se te limitas a ler os livros que toda a gente lê, acabas por pensar o mesmo que pensam as outras pessoas. Esse é o mundo dos papalvos e dos indolentes. As pessoas dignas teriam vergonha de agir assim"
Haruki Murakami
Foto: Casa da Guia


BEIJOS (um tema sempre apetecível)

"O PRIMEIRO beijo é como uma chave: está lá quase tudo. É uma espécie de radiografia ao coração e à alma do outro e também ao seu estado de espírito: se é tímido e meigo ou selvagem e arrebatado, se é discreto e contido ou se avança logo com a língua qual seta de cupido, se é calmo e suave ou agitado e nervoso, se é longo e oferecido ou rápido e fugidio, se é apaixonado com os braços em volta ou excitado com as mãos pelo corpo todo, se é de olhos abertos ou fechados e sobretudo se é bom, muito bom, ou óptimo, porque nisto do amor o óptimo é o maior inimigo do bom e uma pessoa não se deve contentar com menos. O PRIMEIRO beijo é como aquele primeiro olhar que prende. Basta um instante para mudar a nossa vida e às vezes basta um beijo para uma pessoa querer logo casar com outra. Exagero ou não, acontece mais vezes do que desejamos admitir. O primeiro beijo é como o primeiro passo de dança. It takes two to tango e quem dançar melhor é quem ganha o concurso dos Alunos de Afrodite. A Afrodite é uma deusa exigente, quem não sabe dar beijos fica de fora, tal e qual como no jogo das cadeiras. E quem não sabe, deve aprender, porque saber dar beijos ainda faz mais falta do que ter um telemóvel ou um computador. Um homem que sabe dar bons beijos é imediatamente tomado como bom amante porque o beijo é como um cartão de visita: ou gostamos da textura e nos interessa o que tem impresso ou deitamos fora assim que esvaziamos os bolsos.E, depois do primeiro beijo, devem vir logo mais cinco ou seis. Gosto particularmente daqueles beijos de despedida, quando ela abre a janela do carro e lhe pede só mais um, ou antes de adormecer, quando ele, já muito ensonado reclama: «Então não me dás um beijo?» Quando os homens reclamam estas coisas, é bom sinal. É sinal que gostam de nós e que no dia seguinte vão continuar a gostar. (...) uma pessoa nunca se cansa de dar beijos. Quando se gosta de alguém, nunca enjoa, nunca farta, nunca é uma seca. (...) DAR beijos é dar um bocado da nossa alma, é uma promessa de vida do nosso coração para outro coração ao qual queremos chegar com o nosso beijo. Na dúvida, vale sempre a pena dar. E, depois, logo se vê."

http://sol.sapo.pt/blogs/margaridarebelopinto/default.aspx

sexta-feira, 15 de maio de 2009

PROBLEMAS DE EXPRESSÃO

“Nunca consigo expressar o que pretendo dizer (…). Há já bastante tempo que tem sido assim. Tento dizer algo, mas só me saem as palavras erradas: as palavras erradas ou as palavras exactamente opostas àquilo que pretendia dizer. E, se tento corrigir-me, pioro ainda mais as coisas…”

Haruki Murakami in Norwegian Wood


quinta-feira, 14 de maio de 2009

quarta-feira, 13 de maio de 2009

A CULPA QUE MORRE SOLTEIRA

"Dizemos que a culpa morre solteira quando, voltas dadas, contas feitas, não se consegue descobrir o tal do culpado, a criatura que começou a intriga ou o crime, o responsável último da acção nefasta. Quando o que está em causa é ilícito ou criminoso, percebe-se que assim seja.Quando, no entanto, o que está em causa é trivial ou, mesmo não sendo, não tem consequências definitivas, fica estranho não haver responsáveis. Não se percebe por que é que assuntos comezinhos e quotidianos tenham que ser enrodilhados em histórias compridas e mal contadas em que os factos se distorçam e o que aparece como produto final seja uma nebulosa de mal-entendidos, zangas pessoais, acusações mútuas e afirmações desgarradas de princípios que normalmente não vêm nada a propósito.Parece que, entre nós, é especialmente difícil assumir que cometemos erros, nos enganámos, avaliámos mal a situação, desempenhámos ineficazmente a tarefa de que estávamos incumbidos, fomos arrogantes, desprezámos indicadores vitais, não tínhamos razão, desmotivámo-nos, desinteressámo-nos, facilitámos, confiámos em quem não devíamos, não tivemos atenção, enfim, o que se queira, sempre no território das desculpas que, ainda assim, não fogem da assunção de responsabilidades. Dir-se-ia que se confunde culpa com castigo. Que parece que acreditamos que basta dizermos que errámos para merecer a sanção colectiva do desamor, do desrespeito ou do desprezo e que, por essa via, acreditando que a sorte de um homem é escapar, vale tudo para instalar a dúvida e fugir à punição. Ou, então, e igualmente grave, que obliteramos o senso de responsabilidade e não o desenvolvemos o suficiente para viver pacatamente em sociedade. Chegados aqui, parece que temos de concluir uma de duas coisas: ou somos, de facto, todos educados e educamos com tantos "panos quentes" que assumir o que quer que seja que implique responsabilidade própria parece de mais para nós, ou tememos mais a crítica social do que estimamos a velha e boa ideia de termos a consciência tranquila. Em qualquer dos casos, venha o Diabo e escolha!"

http://aeiou.caras.pt/a-culpa-que-morre-solteira=f21279

NA FILA PARA ALMOÇO...

ELA - (imperceptível)
ELE (aos gritos) - Não gostas tens bom remédio, porta da rua, serventia da casa!
ELA (baixo) - Mas será que cada vez que discordamos é só isso que sabes dizer?!!
ELE (aos gritos) - Não gostas tens bom remédio, porta da rua, serventia da casa!
ELA (exaltada) - Se é assim vai mas é almoçar com os teus amigos e não me venhas chatear!

EU (chocada) - Está tudo parvo?!! Isso é forma de se falar?! E desde quando é que o meu almoço tem de sofrer com a falta de educação dos ditos "casais modernos"!

terça-feira, 12 de maio de 2009

“Those who fail to learn from history are doomed to repeat it."

"I believe this to be true. If you do not learn what went wrong the first time around you will end up right back where you started. People fail to learn from their mistakes all the time and we find ourselves caught up in a familiar situation time and time again finding ourselves in a vicious cycle..."

Bolas, bolas, bolas... tenho um longo caminho a percorrer!!!

As saudades que eu tenho de me sentir assim...

"Sou diferente, quando não estou contigo: argumentativa, influente, persuasiva, convincente. Sou a que arrasta multidões, a que quando fala os outros baixam as orelhas, a que tem histórias para contar, teses para defender e pontos de vista para demonstrar, catedrática e exegética. Mas olho-te a boca e fico assim, meio gaga e cacofónica, trapalhona e concordante, onomatopeica e monossilábica, tímida e desconchavada, acometida de dislexia verbal (...).
Sou diferente, quando não estou contigo, sou razão pura e não esta fé pagã; sou cidade, prédios e prumos, e não um punhado de terra molhada, fecunda e seminal. Sou o perímetro exterior de mim e não o âmago de tudo o que afinal me compõe."

http://umamoratrevido.blogspot.com

TEMA DO DIA

"O TEMPO NÃO ESPERA POR NINGUÉM;ONTEM É HISTÓRIA. O amanhã é um mistério, o hoje é uma dádiva, por isso é chamado de presente."

"Se tiver que ser fiel a alguém ou a alguma coisa, em primeiro lugar tenho que ser fiel a mim mesmo. Se busco o amor verdadeiro antes preciso ficar cansada dos amores medíocres que encontrei. A pouca experiência de vida que tenho me ensinou que ninguém é dono de nada, tudo é uma ilusão. Quem já perdeu alguma coisa que tinha como garantida, termina por aprender que nada lhe pertence. E se nada me pertence tampouco preciso gastar o meu tempo cuidando das coisas que não são minhas. Melhor viver como se hoje fosse o primeiro ou o último dia da minha vida"

Citações de Godoy e Paulo Coelho


O amor permanece, o homem é que muda...

"Correndo o risco do fracasso, das decepções, das desilusões, mas nunca deixando de buscar o amor. Quem não desistir da busca,vencerá!"

segunda-feira, 11 de maio de 2009

CADA UM QUE TIRE AS SUAS CONCLUSÕES...

"Joana - Então tenha a coragem de dizer por que você me deixou?...
Jasão - Você quer saber?...
Joana - Quero, vá...
Jasão - Você é viagem sem volta, Joana. Agora eu vou contar pra você, sem rancor, sem sacanagem, porque é que eu tinha que te abandonar. Você tem uma ânsia, um apetite que me esgota. Ninguém pode viver tendo que se empenhar até o limite de suas forças, sempre, pra fazer qualquer coisa. É no amor, é no trabalho, é na conversa, você me exigia inteiro, intenso, pra tudo, caralho... Tinha que olhar pro céu pra dar bom dia, tinha que incendiar a cada abraço, tinha que calcular cada pequeno detalhe, cada gesto, cada passo, que um cafezinho pode ser veneno e um copo d'água, copo de aguarrás. Só que, Joana, a vida também é jogo, é samba, é piada, é risada, é paz. Pra você não, Joana, você é fogo. Está sempre atiçando essa fogueira, está sempre debruçada pro fundo do poço, na quina da ribanceira, sempre na véspera do fim do mundo. Pra você não há pausa, nada é lento, pra você tudo é hoje, agora, já, tudo é tudo, não há esquecimento, não há descanso, nem morte não há. Pra você não existe dia santo e cada segundo parece eterno. Foi por isso mesmo que eu te amei tanto, porque, Joana, você é um inferno. Mas agora eu quero refresco, calma, o que contigo nunca consegui, nunca, nem um minuto. Já, com Alma é diferente, relaxei, perdi a ansiedade, ela fica ao lado, quieta e a vida passa sem moer a gente..."
Gota D'Água

domingo, 10 de maio de 2009

GOTA D'AGUA

Ontem fui até ao CCB ver "Gota D´Água".
Trata-se de um espectáculo com direcção geral de João Fonseca, direcção musical de Roberto Burguel e que conta com a actriz Izabella Bicalho e o actor Cláudio Lins como figuras principais.
"A origem deste musical remonta a 1975, quando Chico Buarque e Paulo Pontes adaptaram à realidade brasileira, dominada pela censura federal e repressão ideológica, a tragédia "Medeia", de Eurípedes.
A carga poética emocionou crítica e público e o musical tornou-se num sucesso sem precedentes.
Trinta anos depois, o espectáculo volta a encher plateias com uma abordagem contemporânea, uma linguagem moderna e com novos arranjos musicais.
Nesta nova versão, a personagem feminina, Joana, é uma mulher batalhadora que vive nos subúrbios de uma grande cidade brasileira, a Vila do Meio-Dia, e que um dia é abandonada pelo marido, que a troca por uma mulher muito mais jovem e rica, filha de Creonte. Enquanto a mulher fica destroçada pela dor da traição, Jasão, o ex-marido, vive dias de felicidade ao lado de Alma, desfrutando do sucesso do samba "Gota D´Água", que não pára de passar nas rádios da cidade.
Cláudio Lins é Creonte.Joana é Izabella Bicalho, uma actriz fenomenal que tem arrecadado prémios atrás de prémios no Brasil pelo seu desempenho neste extraordinário musical, também ele premiado várias vezes.
«O que será (à flor da pele)», «Partido Alto» «Gota D..Água», «Comadre Joana», «Vila do Meio Dia» e «Paó», são alguns dos célebres temas interpretados ao vivo por uma magnífica banda composta por músicos de eleição.Um espectáculo emocionante, magistralmente dirigido por João Fonseca, onde mais uma vez o génio de Chico Buarque volta a estar bem evidente."


Foram 3 horas de grande intensidade, 3 horas de pensamentos dispersos que teimavam em surgir... 3 horas em que não sei o que me foi mais penoso: o drama da peça em cena ou a repetição na minha cabeça dos mesmos "filmes sem final feliz"!

sábado, 9 de maio de 2009

AS COISAS QUE PERTENCEM AO PASSADO SÃO COMO UM PRATO PARTIDO EM PEDAÇOS. NUNCA SE CONSEGUE FAZÊ-LO VOLTAR AO QUE ERA DANTES!!!

"Deixa em paz meu coração
Que ele é um pote até aqui de mágoa
E qualquer desatenção, não faça não
Pode ser a gota d'água"

RECUPERAR O VERDADEIRO EU

"Tens de ultrapassar o medo e a raiva que te dominam.(...) Deixa entrar a luz capaz de derreter a frieza que envolve o teu coração. É isso que significa ser forte."

quinta-feira, 7 de maio de 2009

DESAMPARO

"Trabalhaste no duro para te tornares mais forte e nalgumas áreas conseguiste o teu objectivo. Isso é um facto. Mas agora encontras-te num mundo novo, a pisar terreno desconhecido, numa situaçao que nunca te viste antes.Aos teus olhos, é tudo novo, por isso não admira que estejas confuso e te sintas algo desamparado."

Haruki Murakami

"UMA ODISSEIA PERIGOSA, SEM SOMBRA DE DUVIDA"

"As coisas no exterior sao projecçoes do que tens dentro de ti, e o que tens dentro de ti é uma projecção do que te rodeia. Por isso quando entras no labirinto exterior que te cerca, estás ao mesmo tempo a penetrar no labirinto interior."

Haruki Murakami

DOIS TIPOS DE HOMENS DE QUE SE DEVE DESCONFIAR

"A VIDA ensinou-me a desconfiar de dois tipos de homens: dos que falam muito e dos que estão sempre a querer agradar. Aprendi com os primeiros que quanto mais falam, menos devemos levar a sério o que dizem. Se prometem levar-nos a Veneza logo que a relação começa, o mais provável é a viagem nunca acontecer. Se falam prematuramente em casamento e se perdem a imaginar uma lista de nomes possíveis para possíveis descendentes, é certo que acabam por desistir das duas empreitadas. E se nos dizem amo-te 20 vezes por dia, o mais certo é que, ao primeiro desentendimento, encontrem outra a quem vão dizer o mesmo em menos de uma semana.
O GÉNERO disco riscado que se repete sem mostrar sinais de cansaço remete directamente para a categoria do ‘agradador’. O agradador está sempre bem disposto, dá-se bem com todas as pessoas da nossa família, é capaz de levar a sobrinhada ao cinema e a futura sogra à opera, mostrando-se disponível e prestável, incansável e, pensa ele, insubstituível. Nunca discute nem se zanga, preferindo uma solução de compromisso para todas as questões. Vive obcecado com a sua paixão, mulher de sonho, deusa perfeita que ele ama perdidamente, até ao dia em que rebenta de tanta magnanimidade e explode. E quando um agradador explode, leva tudo à frente.(...)
MANDAM as regras do bom senso que o amor é para se dar com cuidado, mas sem cobranças. E quem dá a fazer contas ao que pode receber, acaba por sair de cena sem dignidade. Olhar para uma relação amorosa como um fundo de investimento pode levar a um poço sem fundo. É o efeito boomerang. Caso se encontre na iminência de ser atingindo/a por um, baixe-se e respire fundo. Os actos ficam com quem os pratica, é o próprio que acabará por ter de engolir o que fez."

http://sol.sapo.pt/blogs/margaridarebelopinto/default.aspx


quarta-feira, 6 de maio de 2009

LIÇÄO FUNDAMENTAL

Tenho de aprender a viver um dia de cada vez...
Tenho mesmo de aprender a viver um dia de cada vez...
É fundamental que eu aprenda a viver um dia de cada vez!!!


terça-feira, 5 de maio de 2009

FRASE ELEITA PARA HOJE

"Se um pequeno desentendimento (atrito, zanga ou discussão) te mata o desejo (afecto, amizade ou amor) é caso para dizer que ele já não era grande coisa!"

E fez-se luz...

domingo, 3 de maio de 2009

FINALMENTE DECIDI-ME A RESPONDER...

Recentemente alguém me perguntou - depois de me dizer que me "achava graça" - quais eram os meus projectos para o futuro...
Considerei que era uma pergunta despropositada. Mal nos conhecíamos e eu nem sequer tinha opinião formada sobre a pessoa em causa.
Pareceu-me estapafúrdio que alguém que acabava de entrar na minha vida, antes de eu sequer saber bem onde a enquadrar, me questionasse sobre o que eu queria para a minha vida!
Na verdade, fiquei chocada com a abordagem... Onde é que estava aquela parte de "vamo-nos conhecer e assim e depois logo se vê"?!!!
Responderam-me que "gostar de alguém é muito bom, mas não chega para construir uma relação com futuro; é preciso saber se há um estilo de vida (projecto de futuro) compatível, antes de avançar"!!!
Fiquei a pensar no tema...
Depois de "digerir" estas afirmações, dispus-me a pensar seriamente no que quero para o meu futuro. Mais, considerei tão importante interiorizar a resposta a essa questão (e dá-la a conhecer a algumas pessoas que andam por aí equivocadas) que resolvi escrever aqui (no meu blog "público") a resposta:
- Quero um companheiro (companhia para a vida, nos bons e maus momentos), quero dois filhos (preferência casal e gémeos), quero permanecer perto dos meus pais, quero um apartamento porreiro junto aos nossos locais de trabalho, quero uma casa na praia, mas nos arredores de Lisboa, para a família passar os fins de semana (quem sabe Troia), quero fazer obras na minha casa no Algarve (para ter espaço para receber os amigos, os filhos dos amigos, os amigos dos meus filhos e já agora os respectivos animais de estimação), quero viajar muito (em especial com o meu companheiro), quero aumentar a minha cultura geral, quero trabalhar no que gosto (e ser apoiada em casa quando isso me exigir horas extraordinárias ou deslocações ao estrangeiro), quero ajudar os outros em acções de voluntariado (e contar com o meu companheiro nesses momentos), quero jantar fora a dois, e ir dançar a seguir, pelo menos uma vez por semana...
Mas PRINCIPALMENTE quero TER A SORTE de ser muito amada! E se isso acontecer, vou esquecer-me de tudo o que EU QUERO - mesmo aquilo que está escrito supra - para partir à descoberta do que NÓS QUEREMOS e ter a felicidade de CONSTRUIR O QUE PODEMOS COM OS MEIOS QUE DISPOMOS (MAS JUNTOS)...
Isto é o que realmente me importa e o que verdadeiramente quero para o meu futuro!!!

E foi assim que acabei por, parcialmente, concordar com a pessoa que despoletou este processo de reflexão! Há incompatibilidades inultrapassáveis. Por exemplo, a referida pessoa e eu não temos qualquer hipótese de futuro conjunto: é que eu, não só acredito no poder do amor para ultrapassar quaisquer divergências de planos pessoais, como também não quero mais ninguém na minha vida que não compartilhe desta "ilusão" (estou cansada de racionalizadores do mais puro dos sentimentos, quero um adulto sem medos)...


PS. Já agora, a bem da são convivência, aproveito para sugerir que as pessoas que não preenchem os "requisitos mínimos" deixem de se candidatar e parem com a mania de mandar "postais"; é que esse tipo de comportamento é maçador para quem faz a "triagem" e prejudica os demais candidatos com verdadeiro potencial!

sábado, 2 de maio de 2009

TROIA

Fui passar o dia a Troia. Apanhei sol, andei de barco e atirei ao Sado as minhas tristezas.
Não sei se resulta, mas sinto-me mais feliz e muito mais leve!

O UMBIGO

É extraordinário como os homens podem perder tanto tempo a olhar para algo tâo ridículo como o próprio umbigo!

No fundo, há que deixá-los...

Amar o outro é dar-lhe liberdade para perder horas a olhar para onde quiser (mesmo que seja o próprio umbigo); amarmo-nos é saber quando chega a hora de nos lembrarmos de nós mesmas e de desistir; é saber que num dado momento temos de buscar outra relação e procurar alguém que seja capaz de perder tanto tempo a olhar para nós como aquele que está fixado no próprio umbigo!

Se há algum homem capaz disso?!!
Não sei, mas não desisto de o procurar!

sexta-feira, 1 de maio de 2009

ORA AÍ ESTÁ A RAÍZ DO PROBLEMA

"(...)a inteligência não é para aqui chamada. Não sou assim tão inteligente como isso. Tenho é a minha maneira de ver as coisas, o que provoca amargos de boca a muito boa gente.(...) É o que acontece a quem, como eu,pensa pela sua própria cabeça e diz a verdade, mesmo quando é desagradável - regra geral só arranja inimigos."

Haruki Murakami

HOJE SENTI-ME ASSIM


Quando a gente gosta
é claro que a gente cuida...

“No man remains quite what he was when he recognizes himself” - T.MANN

Ora, já não é segredo para ninguém que o meu corpo lá cedeu aos excessos de anos seguidos de trabalho e stress. Nestas fases ficamos sempre mais sensíveis (ok, já sei que sou a rainha da susceptibilidade) e precisamos de mimos (ou pelo menos que as pessoas não nos sobrecarreguem com os seus problemas recorrentes, dúvidas existenciais, faltas de ar e "tempos para reflexão").
Tentei explicar isto a um Homem... não correu bem!

A seguir, encontrei este texto e fiquei a pensar nele:

"O Príncipe encantado afinal existe? Será que vale a pena suspirar pelo Homem Ideal? Ou esperar que aquele que pensamos ser o homem da nossa vida nos venha bater à porta? Os contos de fadas dizem que sim, mas os contos de fadas estão fora de moda. As princesas já não passam o dia fechadas em castelos, já não há dragões nem bruxas de verruga no nariz e as madrastas maléficas são como os cigarros: estão out. O cavalo branco foi substituído pelo carro, o castelo de sonho por um T3 e já ninguém acredita nem em ter muito filhos, nem que pode ser feliz para sempre.
AS NARRATIVAS clássicas são perversas: os amantes nunca estão juntos, e se tão raro momento de sorte acontece, logo pagam as favas e com juros. O perigo espreita de cada vez que uma donzela se apaixona e só o homem tem um papel activo: é ele que tem de lutar contra monstros e inimigos, de ultrapassar pontes incendiadas e de subir a torres sem escadas, enquanto a desgraçada espera, espera, espera, bordando, cantando e aborrecendo-se de morte. (...)
O VERDADEIRO príncipe é o que não precisa de lutar pela sua princesa todos os dias; ele chega a casa e junta-se a ela para resolver os problemas que forem precisos. Está presente, todos os dias, para o que der e vier. E quando é preciso matar um dragão ou enfrentar uma bruxa; ambos concertam uma estratégia para repor a ordem. O verdadeiro príncipe não está sempre a precisar de se ausentar para pensar bem naquilo que quer; ele sabe o que quer e, uma vez tomada a decisão, segue o seu instinto com coerência e consistência.
Talvez a sua maior qualidade, ao contrário dos príncipes confusos e indecisos, é não ter medo de ser feliz. Ele sabe que ser feliz dá trabalho, requer investimento, obriga a tempo e apela à disciplina. Ele tem consciência de que a sua donzela, tal como qualquer outra mulher, é complexa, mimada, caprichosa, por vezes infantil, não raro insegura e de vez em quando insuportável. Mas ele também sabe que gostar dela é aturá-la com os defeitos e aproveitar ao máximo as suas qualidades.
O VERDADEIRO príncipe tem poucas dúvidas, opera segundo o princípio da determinação. Já os outros, os que andam a brincar ao Homem Ideal, são escravos da hesitação; precisam sempre de mais um tempo. Meus amigos, tempos dão-se no futebol. Um homem que se preze, ou quer ou não quer. É pegar ou largar."

http://sol.sapo.pt/blogs/margaridarebelopinto/default.aspx

PESSOAS OCAS


"Mentes limitadas, desprovidas de imaginação. Intolerância, teorias desfasadas da realidade, terminologia barata, ideias dogmáticas, sistemas rígidos, essas é que são as coisas que realmente me assustam. É isso que eu mais temo e mais detesto nesta vida. Claro que a questão de saber o que está certo e o que está errado é muito importante. Todos nós cometemos erros de julgamento que podem eventualmente ser corrigidos. DESDE QUE TENHAMOS CORAGEM PARA RECONHECER QUE ERRÁMOS, AS COISAS PODEM COMPOR-SE. Agora, espíritos tacanhos e intolerantes, sem imaginação, são como parasitas que transformam o hospedeiro, mudam de forma, sobrevivem e vingam. SÃO UMA CAUSA PERDIDA E EU NÃO QUERO VÊ-LOS AQUI POR PERTO."